Apresentação da Telalôka

A história da Telalôka confunde-se com a criatividade da sócia-fundadora da empresa: Jô Guimarães. Desde sempre uma apaixonada pelas artes, em 2000 começou a criar umas telas “diferentes” para seu uso pessoal e, muito rapidamente, o que não passava de uma brincadeira, evoluiu para algo mais sério, com encomendas de vários artistas e de algumas lojas. Surgiu, desta forma, a Telalôka, uma marca que apresentava ao mercado nacional diversos modelos de telas bem “loucas”, compostas com acrílicos ou com tubos. Estava implantada a fábrica de telas no Linhó, em Sintra.

 

Com o crescimento da marca e do interesse generalizado de lojas e público final impôs-se uma necessidade: estabilizar os preços das telas no mercado. Surgiu assim uma loja que vendia as telaslôkas e, em paralelo, todo o tipo de acessórios para pintura.

 

Estamos no ano de 2003, quando surge a Telalôka – Loja, em paralelo com a fábrica de telas. A loja, situada em Alcabideche (Cascais), desde sempre foi orientada para as novidades do mercado, tentando sempre abranger a mais variada gama de materiais para Belas-Artes e Artes Decorativas. Ao mesmo tempo começaram a surgir as aulas e a formação nas mais diversas áreas da criatividade artística.

 

O crescimento continuado da loja, através da implementação de novas marcas e produtos, foi sempre um factor determinante para a afirmação da mesma no mercado e uma montra dos melhores e mais interessantes produtos existentes em Belas-Artes e Artes Decorativas.

 

Os anos foram passando e novos objectivos se foram delineando no horizonte da Telalôka. Foi desta forma que no final de 2005 se inaugurou uma segunda loja, desta feita em Mafra. Uma aposta que se revelou extremamente interessante e uma experiência-piloto para um futuro da empresa. Duas lojas padronizadas em termos estéticos e de oferta de produtos e qualidade, o que potenciou a visibilidade e a consequente procura por parte dos clientes a estes dois espaços comerciais.

 

Em paralelo a pressão desenfreada do mercado de importação, bem como a deficiente colocação no mercado das telaslôkas, colocou em questão a fábrica, o embrião da Telalôka. Enquanto as duas lojas estavam completamente estabelecidas e em pleno funcionamento, a fábrica ressentiu-se e começou a ter problemas de resposta concorrencial. Numa decisão épica, a Telalôka resolveu dar a volta à crise: revitalizar a fábrica e (re)conquistar o mercado nacional. Isso implicou um esforço financeiro complicado e uma reformulação da própria empresa, que implicou que se optasse por vender a loja de Mafra e concentrar todos os esforços na fábrica e na loja-mãe.

 

O sucesso fez-se chegar rapidamente. Aquando da primeira participação da Europaper (feira para profissionais), em 2007, os canais de distribuição das telas já estava a ser gerido exclusivamente pela Telalôka e já se começaram a associar alguns produtos complementares às telaslôkas. Nessa mesma feira foi fechado o acordo de distribuição para Portugal dos materiais da empresa alemã Rico Design (líder no seu segmento de produtos), iniciando-se, assim, um novo processo e uma nova faceta de uma empresa que sempre se mostrou dinâmica.

 

Dois meses depois dava-se a inauguração do armazém de revenda, num espaço não muito grande no Linhó, ao lado da fábrica, mas local que marca a história desta empresa. Com a fábrica a trabalhar a 100%, o armazém num crescimento mensal abismal e com a loja completamente estabilizada iniciava-se um novo capítulo na vida da Telalôka: a possibilidade de se apresentar no mercado como uma empresa efectivamente criativa, com canais próprios de distribuição, fabrico e venda, sempre com uma postura de respeito para com todos os seus clientes, pois é graças a estes que a empresa se tornou aquilo que hoje é.

 

A importação de todo o tipo de materiais para Belas-Artes e Artes Decorativas é a faceta deste armazém e tem diversas empresas que representa, muitas delas em exclusivo para Portugal ou mesmo para a Península Ibérica. Rico Design, Creative Company, Pobra, Heindesign, Gomille, Kars, entre muitas outras, são algumas das parcerias estabelecidas, bem como as existentes com diversas empresas portuguesas. Importa primeiramente respondermos às necessidades dos nossos clientes, com a melhor qualidade possível.

 

Apresentou-se o ano de 2008 e, como qualquer português reconhecerá, instalou-se uma crise económica, que já se vinha sentindo desde 2006. Sensível a isso, mas sempre de forma optimista, a Telalôka resolveu fazer o mais improvável: apostou em novas instalações. Em Maio desse ano, o armazém e a loja passaram a ficar sedeados no mesmo edifício, desta feita em Alcoitão, Cascais. A loja ganhou 70 m2, passando a ter 150m2, e o armazém duplicou a sua área, o que permitiu uma reorganização da loja, uma melhor e mais cuidada apresentação dos produtos, tal como um armazém muito mais amplo, com grande capacidade de crescimento. Paralelamente manteve-se o atelier na loja, onde são leccionadas as aulas e os workshops, mas montou-se um segundo atelier, exclusivamente destinado à produção artística, à inovação e criação de novas telas, novas peças e novas ideias.

 

Paralelamente promoveu-se um “re-styling” da imagem, através da modernização do logótipo e da diferenciação das várias facetas:

 

 

Representa a loja
Representa a loja
Representa o armazém de distribuição
Representa o armazém de distribuição
Representa as telas e futuros produtos
Representa as telas e futuros produtos

Actualmente a Telalôka é uma marca registada, reconhecida e em crescimento. É uma empresa que assenta em objectivos claros e aponta para desafios muito específicos de futuro. O seu conceito passa por um tipo de loja muito especial, sempre com atendimento personalizado, com transmissão de know-how ao cliente, através de dicas e conselhos para que consiga obter o melhor nos seus trabalhos. No armazém os profissionais podem encontrar uma vasta gama de produtos, bem como toda a formação específica necessária para poderem satisfazer os seus clientes. Quanto à qualidade e variedade das telas, essa é irrefutável e amplamente reconhecida por todos.

 

Ainda este ano, no seu novo espaço, foram feitas obras de ampliação, o que permitiu que se diferenciassem as diversas áreas: Atelier, Artes Decorativas e Belas-Artes, passando a loja para um total de 300 m2, com uma oferta de produtos e gamas nunca antes vistos.

 

A Telalôka, mais do que uma marca, mais do que um conceito, é uma proposta de desafio à criatividade e um incentivo à descoberta de novos materiais, ampliação de técnicas e qualidade. É uma empresa direccionada para o futuro, não se querendo limitar à importação das variadíssimas marcas que representa, mas sim crescer no sentido de também desenvolver produtos próprios, para além das telas, e de possibilitar a profissionais e público em geral a garantia de estar a trabalhar com uma marca nacional e com credibilidade.